segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Da doação de livros ao presídio

Se é desorganizando que nos organizamos
Vamos desorganizar nossas estantes
Nossos livros, nossa força de vontade
Dentro e além das nossas possibilidades

Vamos desorganizar o impossível
Desorganizar o próprio conhecimento
Para que ele possa chegar de forma organizada
Em  lugares profundamente desorganizados
E, organizadamente,
Desorganizar-se em prateleiras nunca antes organizadas

O conhecimento não deve estar situado apenas em espaços privilegiados
O conhecimento precisa ser dissipado,
Jogado, rasgado, cantado, atirado, arriscado, organizado.
Para que,
Nas ruas, nas casas, nas favelas, nas escolas, nas igrejas, nas esquinas,
Nos presídios,

Ele desorganize.

Um comentário:

Fernando Pacman disse...

Gostei muito da forma que escreve. Deve ser inspiração por morar num estado tão lindo.

Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
Abraços

http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/